Nossa História


Vindo de Revigliasco D'Asti, uma cidade no norte da Itália, Martin Garetto Nocenza chegou ao Chile em 1880 e imediatamente começou a trabalhar como artesão de gravuras, junto com outros artesões italianos. Em 1900 ele publicou um anúncio em um jornal de Curico, Chile, chamado La Prensa, informando que ele queria começar seu próprio negócio: carimbo de borracha. Depois de guardar algum dinheiro, ele abriu uma pequena loja, onde vendeu TIMBRI, a palavra italiana para “carimbo de borracha”.


Martin Garetto falava um espanhol quebrado com um sotaque italiano pesado, por isso, a pronúncia da palavra "timbri" foi alterada para "timbre", sendo esta a razão pela qual os chilenos usam o termo "timbres" quando se referem a carimbos de borracha. Naquele mesmo ano, ele abriu um pequeno stand na Agustinas St., em Santiago, Chile, onde vendeu carimbos de borracha. Faleceu em 1919, deixando a esposa e 8 filhos.

Em 1920, Humberto, o filho mais velho de Martin, deixou a escola muito jovem e começou a vender carimbos de borracha durante o dia e fabricá-los à noite. Era um homem muito inteligente e trabalhava duro. Seu pequeno negócio começou a crescer e em 1925 ele casou-se com Maria Lucero, que o ajudou na fabricação dos carimbos de borracha. Juntos, eles fizeram a empresa crescer ainda mais. Depois de algum tempo, eles começaram a imprimir cartões de visita, um novo campo em sua companhia.

No início dos anos 50, abriram a primeira loja, Timbres Garetto, em Nueva York Street, em Santiago, Chile.

Em 1955, Humberto e Maria dividiram a sua empresa; deram a Waldo, o filho mais velho, o negócio de impressão e os outros dois filhos, Humberto e Bruno, ficaram com o negócio de carimbos de borracha.

Em 1968, Humberto II adicionou uma nova tecnologia à empresa e quando os novos sistemas de produção foram incorporados, o negócio começou de novo a crescer.

Em 1979, Bruno, separado de seu pai e seu irmão mais velho, começou a trabalhar por conta própria. Abriu uma loja de carimbos de borracha, também em Nueva York Street, mas acrescentou um negócio de publicação a ele.

Em 1985, Humberto III e Fernando, os filhos de Humberto II, começaram a trabalhar na empresa. Este foi um passo muito importante para a companhia, porque esse sangue jovem levou a empresa à um crescimento ainda maior. Trouxeram com eles o que havia de mais moderno em controle de qualidade, círculos de qualidade e avanços tecnológicos, como o dispositivo de gravação a laser e a substituição da borracha pelo polímeros; o que transformou a empresa na maior fábrica de venda de carimbo na América do Sul.

Em 1999, eles criaram a AUTOMATIK, uma fábrica de selos, entrando em um campo totalmente novo, o da exportação. A AUTOMATIK se espalhava assim para vários lugares ao redor do mundo, como América do Sul, América do Norte, Europa, Oriente Médio e Austrália.

Em 2004, foi criada a Automatik do Brasil, com o objetivo de criar uma maior proximidade com seus clientes, proporcionando maior facilidade e conforto para suas compras.